24/12/2013

Aves e festas de fim de ano

Certamente não será um Feliz Natal para os milhões de aves que são torturadas, do momento do nascimento até chegar à mesa da ceia. Conheça a indústria que trata como produtos seres conscientes e sencientes como os frangos, perus e chesters, que terão uma vida de puro sofrimento para satisfazer a tradição da morte e o prazer humano. Entenda porque não queremos esses ou qualquer outro animal na nossa mesa. Compartilhe e abra os olhos de seus familiares e amigos. Torne-se vegano e viva uma vida sem crueldade.

13/12/2013

Ação #2 aborda temática do Natal



Noite Feliz? Esta é a indagação no cartaz abolicionista da ação de dezembro. Em nossa segunda ação de rua, abordamos uma temática presente e comum a todos, as festas de Natal. Na ilustração do cartaz, a inocência de uma menina ao exibir uma árvore de natal composta por cadáveres de animais, tendo marcas de sangue em seu próprio corpo, pretende trazer à reflexão o modo como a exploração animal é introjetada e celebrada em nossa sociedade. Buscamos também questionar os valores deixados aos jovens numa celebração dita cristã, onde há muito se festeja o consumo sobre o pretexto de celebrar a vida, ceando animais mortos.

Os cartazes já foram colados em alguns pontos de nossa cidade, Pelotas, Rio Grande do Sul. Agora, seguindo nossa proposta original de trabalho, a de fornecer gratuitamente material gráfico a quem deseje protestar, convidamos a todos para que ajam em outros lugares. Basta fazer download do kit gráfico, imprimir os cartazes e distribuí-los por sua cidade.

Um infográfico, disponível também em nosso site e página no Facebook, orienta como pode ser executada a colagem dos cartazes. Ali, além de informações práticas, há o pedido de que tudo seja documentado, divulgado e encaminhado ao nosso grupo para que sirvam de material de divulgação. Confirme presença no evento no Facebook e convide seus amigos!

Lembramos que acreditamos na força pela união e pedimos que todos participem ativamente colando os cartazes e registrando as manifestações, que serão compiladas em um vídeo posteriormente publicado em nossos canais, mostrando a participação de todos.

Aguardamos o seu contato, registros das manifestações com a hashtag #SomosAnimais e a sua participação em nos nossos perfis no Facebook, Twitter e Instagram.

Um grande abraço vegano abolicionista!

21/10/2013

Ação de Rua #1 - Pelotas/RS

É com muito orgulho que compartilhamos o vídeo da nossa primeira ação de rua. Espalhamos cartazes pela cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul e contamos com vocês para levar ideias abolicionistas para a sua cidade. Em breve, mais informações sobre a próxima ação.


Somos Animais - Ação de Rua #1 from Somos Animais on Vimeo.

23/09/2013

Nasce um novo grupo de ativismo em defesa dos animais


Se não fosse a carne o homem jamais teria chegado onde está!  Este é um dos muitos argumentos dos que tentam nos dissuadir de nossa postura, referindo-se à hábitos alimentares ancestrais. Uma coisa é certa, não fosse a exploração animal, de todo tipo, certamente tudo seria diferente. A cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul, nasceu graças a exploração animal, e se orgulha muito de sua história. Não raro ouve-se falar sobre festas de casamento, aniversários, grandes convenções sociais realizadas em algum antigo casarão as margens do Arroio Pelotas. Os jardins que hoje recebem noivas, aniversariantes e empresários foram regados a muito sangue animal, humano e não humano. Tratam-se das antigas charqueadas, indústrias produtoras de charque, carne seca, como se chama mais ao centro do país. O lugar que tanto enche de garbo uma sociedade falida baseada em costumes vaidosamente toscos nada mais é do que um antigo matadouro de gado sustentado por mão de obra escrava. 

A industria saladeril, como era conhecida a atividade charqueadora, acabou. Mas a era da exploração animal está longe do fim. Mais de dois séculos e meio depois do surgimento da primeira charqueada em terras pampeanas, o sul do Rio grande do Sul continua a sobreviver, em boa parte, da produção de carne, leite e derivados. E aí, pelo arraigamento das “tradições gaúchas” temos uma pergunta típica dos nos nossos conterrâneos não veganos: “mas nem um churrasquinho no fim de semana?” seguida de modo geral de uma risada.

Não! Não queremos um churrasquinho no domingo. Não queremos um docinho de Pelotas. Não queremos ver a gineteada, o desfile de 20 de setembro ou a marcha crioula. Não queremos driblar as quase 1500 charretes que trafegam pelas nossas ruas, não queremos aquele olhar triste das centenas de cães que mendigam às lindas portas dos casarões ecléticos historicistas pelotenses. E não é por não querermos honrar nossas tradições. É porque uma tradição especista por nós jamais será mantida. Assim como não queremos que nenhuma outra tradição baseada no especismo seja mantida, onde for e do modo que for. 

Assim, como o objetivo de provocar o pensamento crítico a respeito de ideias com as quais não concordamos, buscando combater a exploração animal e tudo o que isso acarreta à nossa sociedade, criamos o Somos Animais. Nosso manifesto deixa claro nossa ideologia. Atuando na internet e nas ruas, pretendemos realizar ações que incluem, além de campanhas digitais, fixação e distribuição cartazes, protestos de rua, bem como campanhas informativas para estabelecimentos comerciais e para o público em geral sobre o veganismo. As ações devem ser participadas a todos, antecipadamente para que cada pessoa que deseje agir em sua cidade tenha possibilidade de fazê-lo. 

Em nossa primeira ação virtual lançamos o vídeo Ímpia e Injusta Guerra, que se apropria de versos do Hino do Rio Grande do Sul para destacar a covardia inferida aos cavalos em nosso estado, assim como ocorre no mundo inteiro. Como primeira ação de rua, estaremos afixando cartazes em locais estratégicos da cidade onde vivemos, Pelotas. Os arquivos dos mesmos estão disponíveis para download em nosso site. Um infográfico, disponível também em nosso site e página no Facebook, orienta como pode ser executada a colagem dos cartazes. Ali, além de informações práticas, há o pedido de que tudo seja documentado, divulgado e encaminhado ao nosso grupo para que sirvam de material de divulgação. Confirme presença no evento e convide seus amigos!

Pretende-se que todos os cartazes tragam mensagens de libertação animal, contra o especismo. Seguindo o atual cenário de festividades no Rio Grande do Sul, as comemorações de 20 de setembro onde se vê inúmeros cavalarianos pelas ruas das cidades gaúchas, e o forte apelo às tradições no estado onde o cavalo é utilizado como símbolo, mas subjugado como escravo em diversas atividades servis, o primeiro cartaz apresenta um equino crucificado. A ilustração de Bruno Schuch busca questionar valores sociais, morais e religiosos fazendo alusão à Via Crúcis e ao sacrifício de Jesus Cristo em benefício à humanidade. Comparação que busca lembrar todo o processo de evolução social do homem calçado na exploração animal.

Certos de que unidos somos mais fortes e da urgência da causa, convidamos você a participar ativamente. Não podemos estar em todos os lugares do Brasil, pois nossos recursos são escassos. Entretanto, tudo o que produzirmos compartilharemos para que qualquer um possa fazer a diferença. Nosso objetivo, além de trabalhar nas ruas de nossa cidade, é dar um empurrãozinho naqueles que desejam ir além das escolhas próprias e mostrar pro mundo um pouco da triste realidade que poucos compreendem.

Aguardamos ansiosamente o seu contato, registros das manifestações com a hashtag #SomosAnimais e a sua participação em nos nossos perfis no FacebookTwitter e Instagram.

20/09/2013

Não estamos sozinhos!


O saldo do primeiro dia de divulgação de nosso primeiro trabalho é um grande MUITO OBRIGADO! O mais legal de lutar por uma causa nobre é contar com o apoio de pessoas que nem nos conhecem, mas valorizam todo e qualquer esforço por um bem maior. Obrigado a todos que estão aos poucos se juntando a nós, curtindo, compartilhando e participando. Um agradecimento especial ao Fabio Chaves, fundador do Vista-se, pelo apoio e divulgação do vídeo ÍMPIA E INJUSTA GUERRA, sobre a exploração de equínos. O Vista-se é referência no Brasil, influenciou a vida dos fundadores do grupo e certamente é uma das inspirações para o grupo que está começando.

Sabemos que para a maioria ainda não está claro como atuaremos, mas garantimos que muito em breve vamos botar a mão na massa juntos! Queremos chamar atenção para os direitos dos animais e aos abusos que eles sofrem diariamente. Iremos às ruas com material de protesto e informativo, que será disponibilizado em nosso site para que cada um, na sua cidade, possa disseminar ideias abolicionistas. Unidos podemos, além de denunciar o horror das indústrias animais, apresentar o veganismo como uma opção às pessoas, bares, restaurantes, lancherias e onde quer que nossas vozes alcancem. É isso o que vamos fazer na prática, é nisso que acreditamos.

Obrigado

19/09/2013

Ímpia e Injusta Guerra

Ímpio: Que, ou quem não tem piedade; bárbaro, cruel, desapiedado, desumano. Nesse 20 de setembro algumas imagens precisam ser lembradas. Não importa onde você esteja, podemos lutar juntos contra a exploração animal. Em breve mais informações.